Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Paulla & Paolla levam música nova ao Divina Living Bar

Paulla & Paolla levam música nova ao Divina Living Bar

Resposta para Wesley Safadão enaltece independência feminina
e cai no gosto dos baladeiros




Presença constante nas principais casas noturnas da cidade, Paulla & Paolla se apresentam nesta sexta (09/12), no Divina Living Bar, Pistão Sul. As loiras prometem ferver a casa com os maiores sucessos do forronejo e pitadas de axé, já em clima de carnaval. Outra novidade no repertório das divas é a música Tudo É Prazer, que promete cair no gosto do público. Open bar de skol senses, spirit, secret, catuaba e caipiroska para elas, até às 23h. Entrada a R$ 10 (feminino) e R$ 30 (masculino) - com nome na lista, até às 23h; e R$ 20 (feminino) e R$ 40 (masculino), após. 

Aquele 1%...

Música dançante que inspirou o nome da atual turnê das cantoras (Batom Vermelho), Tudo é Prazer trata da volta por cima da mulherada, que acompanhadas ou não, não deixam de ficar em dia com as amigas e, claro, a balada. E elas vão além: provocam Wesley Safadão com o trecho: "E aquele 1% agora é 100", em referência à música "Aquele 1%". A canção de refrão pegajoso é de autoria de Roney Arnout e Jonas Máximo, e foi feita exclusivamente para a dupla. Hoje, o "hino" dos fãs, como eles mesmos gostam de dizer, é responsável pela abertura dos shows das Poderosas.

"E vamos juntas pra balada / Meu sobrenome agora é farra / Com a gente não tem sofrimento / No instagram #aspoderosas 100%", empolga o refrão chiclete.

Com a turnê Batom Vermelho em andamento desde maio, Paulla & Paolla colecionam apresentações em Goiás e Minas Gerais. Esse ano, elas chegaram a compartilhar o palco com artistas de peso, como Aviões do Forró e Maiara & Maraísa. O segredo do sucesso das cantoras tem sido a mistura das principais tendências musicais em um show envolvente e ao mesmo tempo alegre e romântico. O repertório das divas reúne as autorais Tá Chorando (composição de Paulla Rodrigues) e Vê Se Me Assume (Tony Carqueija e Roney Arnout), além de sucessos de Márcia Fellipe, Wesley Safadão, Matheus & Kauan, Maira & Maraísa e outros artistas consagrados. 

Serviço:
Data: 9 de dezembro de 2016 (sexta)
Hora: 21h
Local: Divina Living Bar 
Endereço: QS 3 lote 11 loja 12b e 12C – Taguatinga /Pistão Sul
Lista: listasextadivina@gmail.com. 
Classificação: 18 anos
Informações: (61) 3027-2485 / 98423-543
*Valores sujeitos a alterações sem prévio aviso

Vídeo - Tudo é Prazer

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Alimentação: Trabalhadores defenderão cláusulas nacionais de saúde e de segurança nas negociações de 2017

Alimentação: Trabalhadores defenderão cláusulas nacionais
de saúde e de segurança nas negociações de 2017

Categoria busca unidade para resistir às pressões do governo e das empresas




Representante de trabalhadores ligados aos setores com os maiores índices de acidentes de trabalho do País, a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) realizou nessa quarta (30/11), o Encontro Nacional da Categoria Profissional da Alimentação, em Brasília (DF). Dirigentes sindicais votaram pela priorização dos temas Saúde e Segurança nos acordos e convenções coletivas de trabalho em 2017. Cláusulas nacionais discutidas no evento serão aprimoradas e divulgadas nos próximos dias.

À frente da confederação que representa 1,6 milhão de trabalhadores no Brasil, Artur Bueno de Camargo afirma que um dos principais problemas enfrentados pela categoria diz respeito ao vínculo empregatício do médico do trabalho com as empresas. Segundo ele, itens nacionais de reivindicações serão elaborados nos próximos dias para que os temas de segurança e saúde dos trabalhadores prevaleçam nos acordos e convecções coletivas.

"Essa subordinação retira a autonomia do profissional para que ele tenha uma atuação preventiva, tão importante, por exemplo, nos frigoríficos, onde há grande incidência de lesões por esforços repetitivos. Temos observado que ao invés de prevenir, esses médicos acabam medicando os trabalhadores para camuflar doenças que podem ser agravadas e isto nos preocupa", comenta Bueno, que defende o acompanhamento dos sindicatos e das Comissões de Prevenção de Acidentes (CIPA) na prevenção de doenças e acidentes nas indústrias da Alimentação.

Fortalecimento

O presidente da CNTA afirma que a categoria, que reúne cerca de 350 entidades sindicais, tem buscado se organizar para intensificar trabalhos junto ao governo, o Congresso Nacional e o Ministério da Saúde. E para enfrentar as dificuldades peculiares da categoria e do movimento sindical, os representantes sindicais contarão com uma ferramenta que deverá ser renovada ainda esse ano: as Secretarias Nacionais da confederação. No entanto, Artur Bueno aproveitou o momento para cobrar mais compromisso das lideranças com seus representados.

"Assim como foi aprovado em nosso último congresso, entendemos que só vamos conseguir fortalecer as entidades sindicais quando nós retomarmos as lutas de base. Se não houver a luta de base, junto aos sindicatos e os trabalhadores das empresas, nós não iremos conseguir fortalecer as representações sindicais. Então, esse é o nosso foco: proporcionar condições aos sindicatos para que eles possam trabalhar junto aos seus representados e poder realmente fazer com que novamente as mobilizações de base venham a ocorrer", afirma.

FST

Na ocasião do evento, Artur Bueno de Camargo anunciou seu novo cargo como Coordenador-Geral do Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), até então ocupado por Lourenço Ferreira do Prado, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito. Com mais de 30 anos de trajetória sindical, ele assume nesta quinta (1/12) a direção do FST, com mandato até 30 de novembro de 2018. Bueno foi eleito por unanimidade pelas confederações que congregam a entidade, que apesar de ter status de central sindical, tem o propósito político de resgatar o protagonismo das confederações profissionais, representantes legítimos dos trabalhadores de categorias diversas.

"Tenho de parabenizar as representações da categoria profissional da Alimentação por isto, pois foi através de trabalhos conjuntos dessas entidades com a CNTA que tivemos o apoio unânime das demais confederações de trabalhadores para assumir a direção do FST. Esse é sem dúvida algum um desafio muito grande, mas eu tenho certeza de que com o empenho de toda a categoria, nós possamos alcançar um patamar de representação que possa dar uma resposta à altura em relação às demandas dos trabalhadores.", avalia.

Cerrado ganha obra infanto-juvenil

Cerrado ganha obra infanto-juvenil

Bióloga brasiliense Nurit Bensusan dá início a novo projeto de popularização da Ciência. Autora acaba de ser homenageada com Ziraldo, na 8ª edição da Festa Literária de Pirenópolis







As árvores retorcidas e a vegetação rasteira típicas do Cerrado serviram de inspiração para o novo trabalho da bióloga Nurit Bensusan. Mais do que retratar paisagens, a obra Cerrado: bioma Torto? estimula a reflexão de crianças e adolescentes sobre a desvalorização do segundo maior bioma brasileiro, que possui taxas de desmatamento maiores que as da Amazônia. Da editora Mil Folhas e Três Joaninhas, o livro é o segundo de uma série de títulos com temáticas ambientais, que se iniciou ano passado, com o livro da mesma autora, Dividir para quê? – Biomas do Brasil. O lançamento será no próximo sábado (10/12), às 17h, no café Objeto Encontrado, na Asa Norte (DF). O evento é aberto ao público e contará com a presença do músico Marcello Linhos, que irá apresentar músicas de seu novo CD, Violinha Caipira, todas inspiradas no Cerrado.

Ao preencher lacunas deixadas por materiais didáticos, Nurit Bensusan conta que seu mais novo projeto consiste em explorar, de forma interessante e instigante, temas específicos que dialoguem com os seis biomas brasileiros. Nas 32 páginas do livro são apresentadas “as várias caras do Cerrado” por meio de curiosidades e referências socioculturais esmiuçadas em uma linguagem simples e bem humorada, com ilustrações divertidas do escritório de design Grande Circular. 

"Ao iniciarmos esta sequência de cinco obras, buscamos retratar especificamente o Cerrado porque, coitado, além de ninguém dar bola para ele, não há obras desse tipo para as crianças. Nossa intenção é suprir essa lacuna e, claro, aprofundar o tema por vivermos em Brasília, região mergulhada no Cerrado.", comenta a autora, que antecipa conteúdos voltados para os mares, as florestas, a agricultura e a domesticação de espécies nos próximos livros da coleção.

Bioma azarado

Retratado pela pesquisadora como “um bioma azarado”, o Cerrado, apesar de ser a origem das bacias hidrográficas do Prata, São Francisco e Tocantins-Araguaia, e possuir mais de 4 mil plantas exclusivas, não recebe, segundo Nurit, a atenção devida da sociedade. Doutora em Educação e mestre em Ecologia, a escritora questiona a percepção de como enxergamos o Cerrado, o que impacta sua conservação nos estados da região Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal), além do sul do Pará e Maranhão, interior do Tocantins, oeste da Bahia e Minas Gerais, e o norte de São Paulo.

"Mesmo ele sendo esse bioma super especial, com a maior diversidade de árvores do mundo, o Cerrado teve o azar de estar no Brasil, um país rico em belezas naturais e que possui outros biomas que roubam a atenção. E como as pessoas não são educadas para ver beleza no Cerrado, por ele ser um ‘bioma torto’ e tido como feio, essa percepção acaba atrapalhando sua conservação”, afirma. “E isso é tão gritante que a falta de importância dada ao Cerrado é sinalizada até mesmo em nossa Constituição Federal, que diz que a Amazônia, o Pantanal e a Mata Atlântica são patrimônios nacionais, mas o Cerrado....”.

Muito além dos ipês

Conhecidos por sua exuberância, os ipês e os flamboyants ganharam status de novos símbolos da Capital, com direito a campanhas sazonais de registros fotográficos. A bióloga vê com preocupação a tendência da “conservação do belo” em meio ao avanço da agricultura e da pecuária, ameaças predominantes na região Centro-Oeste.

“Os flamboyants estão presentes em mais de cem países, mas em Madasgascar, onde ele é nativo, praticamente não existe mais. Então, quando vemos flamboyants por aqui, vemos apenas um lembrete de um bioma que não existe mais e é esse risco que a gente corre com o Ipê. Esta é uma árvore que está cada vez mais ameaçada por ter uma madeira que vale muito dinheiro e, como a floração dela é chamativa, ela é facilmente achada e explorada, levando em mais de 60 anos para se regenerar.”, exemplifica.

Finalista do prêmio Jabuti em 2013, Nurit Bensusan também revela em seu oitavo livro infanto-juvenil os primeiros habitantes do Cerrado, os tipos de vegetação, bichos e plantas peculiares do bioma, além da influência deste no dia a dia dos brasileiros. A pesquisadora destaca ainda a importância desse tipo de savana, que trocou o exagero da fauna pela flora em relação às demais, para a regulação do clima e a manutenção de espécies diversas. E faz um alerta: as taxas de desmatamentos do Cerrado são maiores que as da Amazônia. 

“A proteção do Cerrado, em áreas de conservação, é outra medida que mostra a pouca importância que esse bioma tem. Somente 8,3% dele estão dentro de unidades de conservação. Esse total não é suficiente para manter a biodiversidade do Cerrado, principalmente porque, fora desses espaços protegidos, a destruição total tem sido a regra”, aborda a obra.

O Cerrado é Flicts

Na ocasião da 8ª edição da Festa Literária de Pirenópolis (Flipiri), Nurit Bensusan foi homenageada juntamente com Ziraldo, no último dia 18, durante conferência sobre Literatura e Natureza. Ao antecipar a apresentação do livro Cerrado: bioma Torto?, a escritora aproveitou a presença do grande ídolo do público infantil para brincar com o tema em alusão à história de Flicts, obra de Ziraldo, que aborda uma cor diferente que não se encaixava no arco-íris. “Foi engraçado e conveniente fazer esse paralelo. O Ziraldo gostou bastante da minha adaptação, mas ao final, eu tive que dizer que apesar de flicts ter um lugar especial, porque a lua é flicts, eu espero que o lugar especial do Cerrado não seja na lua”, conta.

Serviço: 
Data: 10 de dezembro de 2016 (sábado)
Hora: 17h
Local: CLN 102, Bloco B, Loja 56 (Asa Norte)
Classificação: livre
Valor do livro: R$ 40,00
Pontos de vendas: livrarias em geral e site da editora Mil Folhas: http://livraria.iieb.org.br/



Assessoria de Imprensa
Clarice Gulyas
(61) 98177-3832 TIM/ Whatsapp
claricegulyas@gmail.com (Gtalk)
Registro profissional: 9520 - DRT/DF

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Paulla & Paolla retonam à Roda do Chopp com nova música de trabalho

Paulla & Paolla retonam à Roda do Chopp com nova música de trabalho

Resposta para Wesley Safadão enaltece independênciafeminina e cai no gosto dos baladeiros




Com agenda movimentada de shows, a dupla Paulla & Paolla já conquistou seu espaço nas principais casas noturnas da cidade. Neste sábado (03/12), asloiras retornam com tudo à Roda do Chopp para agitar a noite com sucessos doforronejo. Novidade que tem agradado o público brasiliense, a música Tudo É Prazer, é a grande aposta das divaspara impulsionar o sucesso nos quatro cantos do Brasil. Entrada a R$ 10(feminino) e R$ 35 (masculino), até às 23h; e R$ 25 (feminino) e R$ 35(masculino), após. Casa aberta às 22h. Classificação: 18 anos.  

Música dançante que inspirou o nome daatual turnê das cantoras (Batom Vermelho), Tudo é Prazer trata da volta porcima da mulherada, que acompanhadas ou não, não deixam de ficar em dia com asamigas e, claro, a balada. E elas vão além: provocam Wesley Safadão com otrecho: "E aquele 1% agora é 100", em referência à música"Aquele 1%". A canção de refrão pegajoso é de autoria de Roney Arnoute Jonas Máximo, e foi feita exclusivamente para a dupla. Hoje, o"hino" dos fãs, como eles mesmos gostam de dizer, é responsável pelaabertura dos shows das Poderosas.

"E vamos juntas pra balada / Meusobrenome agora é farra / Com a gente não tem sofrimento / No instagram#aspoderosas 100%", empolga o refrão chiclete.

Com a turnê Batom Vermelho em andamentodesde maio, Paulla & Paolla colecionam apresentações em Goiás e MinasGerais. Esse ano, elas chegaram a compartilhar o palco com artistas de peso,como Aviões do Forró e Maiara & Maraísa. O segredo do sucesso das cantorastem sido a mistura das principais tendências musicais em um show envolvente eao mesmo tempo alegre e romântico. O repertório das divas reúne as autorais TáChorando (composição de Paulla Rodrigues) e Vê Se Me Assume (Tony Carqueija eRoney Arnout), além de sucessos de Márcia Fellipe, Wesley Safadão, Matheus& Kauan, Maira & Maraísa e outros artistas consagrados. 

SERVIÇO
Data: 03/12/2016 (sábado)
Hora: 22h
Local: Roda do Chopp - SIBS, quadra 1,área especial 04 - Núcleo Bandeirante
Ingressos: R$ 10 (feminino) e R$ 35(masculino), até às 23h; e R$ 25 (feminino) e R$ 35 (masculino), após.
Classificação: 18 anos.  
Informações: (61) 3386-4461 / 99657-1608

Conheça a música:




Assessoria de Imprensa
Clarice Gulyas
(61) 98177-3832 TIM/ Whatsapp
claricegulyas@gmail.com (Gtalk)
Registro profissional: 9520 - DRT/DF

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Previna as dores nas costas durante as viagens de final de ano

Previna as dores nas costas durante as viagens de final de ano

Excesso de bagagens e manutenção da postura por longos períodos 
são as principais causas de dores musculares e inchaços



As férias estão aí e o período de viagens começa com força total. Independente do transporte utilizado para viajar, a população deve ficar de olho na saúde e evitar permanecer longos períodos de tempo na mesma posição. A fisioterapeuta Ângela Lepesqueur, representante da Associação Brasileira de Reabilitação da Coluna (ABR Coluna) no Distrito Federal dá dicas de como evitar ou aliviar as dores nas costas antes e durante as viagens.

Especialista em Coluna Vertebral, Ângela Lepesqueur explica que a permanência por longos períodos na postura sentada, aliada às tensões durante a viagem, como o medo de avião, contribui com a incidência de dores. Para que o momento de lazer não seja prejudicado, ela recomenda paradas de pelo menos 15 minutos a cada duas horas (carro) para caminhadas e alongamentos, além de exercícios simples e o uso de acessórios, como almofadas ortopédicas para a cervical e a lombar. Motoristas devem redobrar a atenção na manutenção das curvas corretas dessas regiões.

"É preciso se movimentar durante as viagens para melhorar a lubrificação de todas as articulações e também evitar o acúmulo de líquidos das articulações e membros, principalmente, os inferiores e nos casos de viagens de avião. Uma dica é mudar de postura, esticar braços, pernas e pés, inclinar a cabeça de um lado para o outro e para frente, espreguiçar-se e, se possível, ficar em pé e caminhar pelo corredor durante o voo", comenta a fisioterapeuta, que indica as mesmas atividades para o momento que antecede as viagens, seja de avião, carro ou ônibus.

Excesso de bagagem

Também diretora da unidade brasiliense do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral (ITC Vertebral), Ângela Lepesqueur destaca que outro problema muito comum envolvendo as dores nas costas está relacionado com o transporte indevido das malas e excesso de bagagens.

“Dividir o peso em duas malas e optar por um modelo com rodinhas ao invés daqueles com alças são formas simples de não sobrecarregar a coluna. Isto fará grande diferença também no momento em que for preciso retirar a bagagem das esteiras dos aeroportos ou da mala do carro.“, comenta.

“Dê preferência às malas com apoio de mão mais alto, mais ou menos na altura da bacia. Assim, não há necessidade de flexionar o tronco na hora de puxar a bagagem. Quanto às bagagens de mão, procure dar preferência para artigos mais leves, que não exijam o uso de todo o tronco para manter a coluna estabilizada”, afirma.


Assessoria de Imprensa
Clarice Gulyas
(61) 98177-3832 TIM/ Whatsapp
claricegulyas@gmail.com (Gtalk)
Registro profissional: 9520 - DRT/DF

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Brasília sedia Encontro Nacional da Categoria Profissional da Alimentação

Brasília sedia Encontro Nacional da Categoria
 Profissional da Alimentação

Evento reunirá dirigentes sindicais de todo o País para definir metas de trabalho para 2017. Entre as prioridades está a resistência aos projetos que flexibilizam direitos trabalhistas




A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) irá realizar nesta quarta (30/11), às 9h, o Encontro Nacional da Categoria Profissional da Alimentação, no Hotel Nacional, em Brasília (DF). O objetivo do evento é discutir e aprovar as principais reivindicações dos 1,6 milhão de trabalhadores no Brasil que serão trabalhadas nacionalmente em 2017. Também será discutida a definição das atividades das Secretarias Setoriais da CNTA para o mesmo período.

De acordo com a CNTA, a categoria profissional sofre atualmente com demissões, falta de avanço nas negociações coletivas, pressões psicológicas por metas agressivas, assédio moral, falta de benefícios, alto índice de acidentes e desigualdade de remuneração entre homens e mulheres. A confederação também reforça o posicionamento contrário aos projetos que vão contra os anseios do movimento sindical e da classe trabalhadora, como a terceirização na atividade-fim, a preponderância do negociado sobre o legislado, a reforma da previdência, alterações na contribuição sindical, entre outros.

Segundo o presidente da CNTA Afins, Artur Bueno de Camargo, a atual conjuntura econômica e política do País pede a união do movimento sindical. Para tentar reverter dificuldades, a CNTA irá também reformular as atividades das Secretarias Nacionais da confederação. Entidade participará ainda, nesta terça (29/11), do Seminário Nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), a partir das 10h, no auditório Petrônio Portela, do Senado Federal.

"É preciso nos organizarmos para resistirmos aos ataques que estamos sofrendo, principalmente, por parte do setor econômico, que quer se utilizar da crise para retirar direitos dos trabalhadores”, afirma o sindicalista, que também critica a precarização dos órgãos de controle e fiscalização, que resulta em inúmeros acidentes de trabalho e doenças ocupacionais nas indústrias alimentícias. 

Entidade apartidária e não filiada a nenhuma central sindical, a CNTA cogita adotar uma postura mais firme em suas ações. A confederação antecipa a intenção de dedurar parlamentares e políticos que prejudiquem os trabalhadores, assim a de intensificar os trabalhos no campo internacional, com campanhas de boicote de produtos e marcas, e denúncias de abusos cometidos por empresas globais, como a Ambev (Antarctica e Skol), Coca-Cola e os frigoríficos JBS (Friboi) e BRF (Sadia e Perdigão). 

Na última semana, a entidade promoveu o Seminário Regional da Categoria Profissional da Alimentação no Centro-Oeste, realizado em Cuiabá (MT). Na ocasião, foi discutido e aprovado um elenco de prioridades de ações para a categoria, obedecendo a um dos pontos da resolução final do VI Congresso Nacional da Alimentação, que ocorreu em agosto desse ano.

Pesquisa inédita

A região Centro-Oeste possui atualmente 200 mil trabalhadores nos setores de bebidas, produtos alimentícios, pesca e aquicultura, e fumo. O Distrito Federal representa 11,6 mil desse total, ocupando o 20º lugar em número de trabalhadores no País. Elaborada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) a pedido da CNTA Afins, a pesquisa Raio X da Alimentação aponta que em 2015 houve redução do número de trabalhadores nas indústrias da Alimentação na região Centro-Oeste. Eram 194.490 empregados em 31 de dezembro de 2015, contra 198.221 no mesmo período do ano anterior. 

Foram fechados, portanto, 3.661 postos de trabalho (-1,8%). Tal queda, contudo, não foi uniforme. Enquanto no DF (851) e MS (436) registrou-se expansão do emprego no período, em GO (-1472) e MT (-3476) houve recuo. Do mesmo modo, se por um lado Fabricação de Produtos do Fumo (24) e Pesca e Aquicultura (104) registraram altas, por outro, Fabricação de Produtos Alimentícios (-2937) e Fabricação de Bebidas (-852) caíram. Ainda segundo a pesquisa, a remuneração média destes trabalhadores, no mês de dezembro de 2015, era de R$ 1.844,20.


Acidentes

Entre 2012 e 2014 o número de acidentes de trabalho reduziu de 54.814 para 52.557, diferença de 2.257 acidentes ( -4,1%). De todas as divisões avaliadas pelo DIEESE, apenas a Pesca e Aquicultura apresentou aumento no número de acidentes. Na fabricação de alimentos a queda foi de 49.460 para 47.970 (-3%). No entanto, no caso do setor que lidera o número de acidentes de trabalho – o de Frigoríficos - registrou-se a ampliação do número de acidentes: de 18.226 em 2012 para 19.821 em 2014 (alta de 8,7%).

Na fabricação de bebidas a queda foi de 4.828 para 4.125 (-14,5%). Mas houve registro do aumento do número de acidentes em duas atividades: fabricação de vinhos e fabricação de águas envasadas. A queda acentuada no número de acidentes na fabricação de açúcar (redução de 4.241 acidentes ou de 2012 para 2014) correlaciona-se também com a própria queda do nível de emprego no setor (cerca 10,7%).


Serviço:
Data: 30 de novembro de 2016
Hora: 9h às 18h
Local: Hotel Nacional - Setor Hoteleiro Sul, Quadra 01, Bloco A.
Informações: (61) 3242-6171 / cnta@cntaafins.org.br


Baixe aqui (via Dropbox) a pesquisa:


Assessora de imprensa: Clarice Gulyas
(61) 3242-6171 / (61) 98177-3832 whatsapp 
imprensa@cntaafins.org.br


MT: Trabalhadores da Alimentação assinam "O Grito de Cuiabá"

MT: Trabalhadores da Alimentação assinam "O Grito de Cuiabá"
 
Encontro regional da categoria resulta na criação de coordenadoria
que intensificará ações sindicais no Centro-Oeste
 
 
 

O encerramento do Seminário Regional da Alimentação no Centro-Oeste, nessa quarta (23/11), teve como documento final carta pública com as principais decisões e posicionamento coletivo sobre os problemas enfrentados pelos 200 mil trabalhadores nos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Realizado em Cuiabá (MT) pela Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentos e Afins (CNTA Afins), o texto traz ações em defesa da equiparação de gênero no mercado de trabalho, unicidade sindical e sua forma de custeio, criação de forças-tarefas estaduais, cumprimento de normas que visam a saúde e segurança no trabalho, entre outros.
 
Com início no dia 22, dirigentes de sindicatos e federação discutiram com a CNTA as principais necessidades da categoria na região, além das teses e moções aprovadas no VI Congresso Nacional da Alimentação, em agosto desse ano. E para buscar soluções aos conflitos locais, um grupo com representantes sindicais foi eleito para coordenar as atividades no Centro-Oeste, com atuação que contará com a orientação da CNTA através de sua sala de apoio, sediada em Cuiabá (MT). Integram esse grupo: Antônio Martins da Luz (sindicato de Barra do Garças/MT), Juarez José Brugnago (sindicato de Nova Mutum/MT) e João Carmelo Gomes Sukqere (sindicato de Tangará da Serra/MT). Na ocasião, sindicalistas analisaram convenções e acordos coletivos de trabalho e se posicionaram contra as reformas trabalhistas, sindicais e previdenciárias.
 
O presidente da CNTA Afins, Artur Bueno de Camargo, avalia que o evento foi importante para integrar as entidades sindicais e contribuir com o intercâmbio de informações, resultando em estratégias mais precisas de trabalho, com extensão às bases. Ele também destaca a importância da capacitação das lideranças sindicais para o enfrentamento das próximas negociações coletivas.
 
“No momento de sentar-se à mesa para conversar com o empresário, precisamos ter bons argumentos, que são extraídos de informações e dados em mãos, por exemplo. Caso contrário, não seremos respeitados durante as negociações”, reforça.

Representante da Secretaria da Mulher da CNTA, Neuza Barbosa de Lima defendeu a equiparação de gênero nas indústrias alimentícias, principalmente, no que tange as desigualdades salariais para mesmos cargos e funções. Ela também propôs campanhas de conscientização às trabalhadores sobre seus direitos (como o afastamento não-remunerado por até 180 dias em casos de violência doméstica) e aproveitou o momento para reivindicar maior participação feminina nas direções das entidades sindicais. Segundo a pesquisa Raio X da Alimentação no Centro-Oeste, realizada pelo DIEESE a pedido da CNTA e lançada no encontro, aponta que a remuneração média da mulher é 32% menor que a do homem.
 
“As mulheres precisam ocupar os espaços de poder nos sindicatos e participar das mesas de negociação. Só assim haverá a redução dessa disparidade”, argumentou.
Iniciativa modelo
 
Diretor da CNTA, Darci Pires da Rocha compartilhou experiência de sucesso à frente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias e Cooperativas da Alimentação de Pelotas (RS), com força-tarefa que garantiu quase 50 inspeções das condições de trabalho nos principais frigoríficos do Estado. Os resultados da parceria entre a CNTA, sindicatos locais, órgãos estaduais, Ministério Público do Trabalho e Ministério do Trabalho foram: notificações, interdições, autuações, multas e ações judiciais de frigoríficos, como JBS e Marfrig. A ideia é expandir esta ação para demais Estados e setores da Alimentação.

 “O resultado não surgiu da noite para o dia. Foi necessária muita mobilização e trabalho, e hoje nós temos uma redução considerável de trabalhadores afastados por doenças ocupacionais. Todos saem ganhando com isso”, comenta Darci, que em 2004 coordenou, junto à federação do Estado, levantamento estatístico inédito sobre e saúde e segurança dos trabalhadores nas indústrias frigoríficas, em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Confira, na íntegra, O Grito de Cuiabá
 
Diante dos alarmantes índices de desemprego, crescentes abusos do poder econômico, acidentes e mortalidade de trabalhadores da categoria nas indústrias de alimentação da região centro-oeste do Brasil, reunidos no Seminário Regional, realizado em Cuiabá/MT, nos dias 22 e 23 de novembro de 2016, em cumprimento à determinação do VI Congresso Nacional da categoria, reafirmar, categoricamente, o nosso repúdio a toda e qualquer tentativa dos poderes, econômico, Executivo, Legislativo e Judiciário que venham subtrair direitos e benefícios dos trabalhadores.
 
Nesse sentido, o Seminário de Cuiabá reconhecendo o descrédito do atual Congresso Nacional, conclama a categoria da alimentação a cerrar fileiras em oposição às propostas de reformas governamentais, portanto:
 
Não à reforma e ao fator previdenciário!
Não à reforma trabalhista que diminua direitos conquistados!
Não à reforma sindical que tentar amordaçar a voz dos trabalhadores!
 
O Seminário Regional reafirma a defesa intransigente do Estado Democrático de Direito e o fortalecimento de suas instituições, particularmente o Judiciário Trabalhista, o Ministério Público do Trabalho e o Ministério do Trabalho, Emprego e Previdência Social.
 
A categoria profissional da Alimentação em Cuiabá deliberou novamente pela defesa da unicidade sindical e sua forma de custeio respeitando a vontade dos trabalhadores, bem como o incentivo às políticas públicas para criação de emprego e renda, além do combate à terceirização de mão de obra.
 
Deliberamos ainda:
a) pela defesa da criminalização dos empresários que deixam de pagar os direitos trabalhistas por ocasião das rescisões, inclusive, nos casos de encerramento de atividades;
b) pela inclusão nas normas coletivas, da isonomia salarial em razão de gênero;
c) pelo fortalecimento do comitê nacional e suas ações regionais, envolvendo sindicatos de base, Federações e a Confederação, visando agilizar a solução dos conflitos coletivos; 
d) pela exigência junto às empresas e Órgãos do Poder Público para o cumprimento das normas que visam a saúde e segurança no trabalho;
e) pela valorização e atuação nas negociações coletivas de trabalho, priorizando as convenções coletivas em detrimento aos acordos coletivos de trabalho.
Viva os trabalhadores nas indústrias de alimentação da região centro-oeste!
Viva o Brasil!
 

Assessora de imprensa:
Clarice Gulyas

(61) 3242-6171 / (61) 98177-3832 whatsapp
imprensa@cntaafins.org.br